sexta-feira, 26 de julho de 2013

PARIS NO OUTONO





PARIS NO OUTONO

Pela linda linha policromo passeio ao som da vida.
Paris vestida de outono exalando o perfume do fim da estação,
que deixa uma saudade das cores que embriagam.

A esperança de um novo outono trás nova expressão!
Paris beleza que revela a suavidade de um amor.
Desperta a vontade de ser envolvida pelo frescor de tanta beleza.

A saudade se derrama em sonhos de por lá, voltar
e mergulhar na exuberante e suave cor de suas folhas.
As folhagens se derramam pela força da estação abrindo caminho
para um novo ciclo carregando a saudade pelo que foi no verão.

Céu azul cortado por deslumbrantes devaneios!
Eu deslizo no rio Sena que me acolhe sempre em sua calmaria...
O cair da tarde surge adornando as margens e sua arquitetura.
Revela-se a exuberância de sua alma fascinante.
Em seus contos mais sutis e melodiosos.
Na poesia, o seu ardor se expressa
entre versos cantados por Edith Piaf.


Shirley Araújo

26 - 07 - 13





domingo, 27 de janeiro de 2013

CAMINHOS PARA O AMOR DE SHIRLEY




 

CAMINHOS PARA O AMOR DE SHIRLEY



Tua paz,
Semeadura que acalanta sentimentos dóceis.
Teu sorriso ara os húmus
os quais predomina a raiz onde habita afetos.

Caminhar em tuas planícies
renovam-se algodões e brisas febris.


Amo-te...
E meus poros estão encharcados de teus sóis.
E o corpo há de obter sempre teus polens coloridos
os mesmo que magistralmente
Tu semeias nas primaveras.



By © Alberto Araújo

23-01-13


Poesia dedicada por seu amado esposo pela passagem do seu aniversário.

Parabéns!



 






 



sexta-feira, 2 de novembro de 2012

A CHEGADA DO ANJO





A CHEGADA DO ANJO




Num dado momento uma suave lembrança.
O anjo desceu do céu!
Tenho-o agora no coração.

Como um raio de sol nascente,
o Anjo chegou à minha vida,
num  fim de inverno que guardava a primavera.

Enquanto o anjo descia do céu.
Gaivotas em voos rasantes sobrevoavam
sobre a superfície das águas.

No mar...
Prenúncios da chegada de um tempo florido e feliz.

O entardecer exibia um arrebol.
Cor de esmaecidas luzes.
Anunciava a chegada da noite.
Noite essa que se preparava para
receber a Mãe da noite vestida de prata.

As estrelas cadentes flamejantes
confabulavam entre si sobre nós.

A noite que chegou trouxe
uma trilha para o amor intenso.

Saltitantes as estrelas festejavam a nossa união.




Shirley Araújo





quinta-feira, 25 de outubro de 2012

EU E VOCÊ




EU E VOCÊ






O amor que agora atravessa os caminhos do meu corpo,
Deixa uma suave marca de tuas pegadas que se movem devagar
Na minha pele que foi perfumada com a tua devoção.

Pela trilha ardente suas mãos deslizam e deixa o calor desse amor.
Com ardor seus braços me afagam num aconchego.
Em noite enluarada corre suavemente uma brisa.

Uma estrela cadente sinaliza sonhos e devaneios num universo intenso!
Banhado pela mãe da noite o nosso amor ganha a eternidade,
Nada poderá segurar o curso desse amor que eternizado
Resplandece a vida de dois em um
Eu e Você = nós

E nossa cumplicidade esbanja e exala a fragrância do puro amor
Caminhamos e fazemos o tempo que passa.



Shirley Araújo

25 - 10 - 12






quarta-feira, 18 de julho de 2012

O AMOR DE NÓS DOIS







O AMOR DE NÓS DOIS


O sol do amor
Exuberantemente nasceu por trás dos montes
E clareou o meu horizonte
A sua luz penetrou todos os espaços de minha alma.
Os pássaros afinaram os seus cantos
E a manhã trouxe um novo dia
Iluminando o nosso amor.

Na mais linda roupagem eu me visto
Para celebrar ofertando uma dança da vida.
Todo o universo se vestiu de luz para ver o nosso amor!
À noite, as estrelas irradiaram suas luzes mais brilhantes!
A lua com o manto de prata adornou o nosso amor.

Um acalanto desceu do céu em coro de anjos celestiais
O mar em calmaria banhou a praia de nós dois
E a brisa em cumplicidade com o vento
Confidenciou sobre o nosso amor.


Shirley Araújo

domingo, 24 de junho de 2012

UM CORAÇÃO PERTINAZ




UM CORAÇÃO PERTINAZ




Como a brisa suave nasceu o sentimento!
Guardo no coração pertinaz!
Acima das nuvens brilha o sol 
No sentimento que continuo a cultivar.
Um amor revelado que traz alegrias com cumplicidade 
Consumação da mais pura realidade.
No silêncio te sinto completo.
Noites transparentes juras sinceras.
Disfarçado arcano sem fala
Atravessa o medo no avesso da vida.
Desfeito o pensamento, ficar sem arriscar?
A alegria fenece...
No rito uma verdade não cala
E no ardor do puro anseio
O sol não deixa escurecer a paixão
E o sentimento sempre ressurge sem receio
Com toda amplitude no ardente coração.




Shirley Araújo